domingo, 27 de julho de 2014

sabático e dominical.

Só sei dizer do que conheço
só deixo ir o que esqueço
o que sinto em melodia
sem a paz nem alegria
entre choro e o soluço
vou limitar meu pulso
pra deixar o sonho um dia
e acordar dentro dum berço.

só traduzo o mundo na dor que sinto
porque os felizes cantam por si só
 virou sangue o vinho tinto
minhas tripas dão um nó
não quero que se deixe morrer
sempre antes de amanhecer.


Só que as vezes a noite é sorrateira, vem nos queimando de frio e engolindo toda luz.
Não queria que o domingo fosse despertado tarde pra se adormecer cedo, ser lembrado e arrependido pelo que não foi feito, ser tedioso, triste, desesperador, sem jeito e ocioso.
Eu não queria ser domingo, eu queria ser feliz.