segunda-feira, 4 de junho de 2018

Ensaio sobre meu pai

Que dor é essa que te corta sem que eu nunca tenha visto?

Que dor é essa que escondeu o teu sorriso

As lágrimas que brotam dos teus olhos escorrem na minha pele

O motivo do meu rir, do meu viver hoje chorou

E o sol se escondeu porque não havia graça nenhuma nesse tempo louco.


Loucos tempos. Eu desperdicei tanto tempo em despedidas que não percebi a desgraça que faria.

Nunca mais eu vou embora só pra não atrapalhar mais sua alegria.

Hoje eu fico, amanhã eu vou embora

A vida é mesmo um instante

Então melhor viver agora

Porque a cada respirar do meu pulmão será só seu

Porque mais da metade do meu sorriso na verdade vem do seu.


Obrigado e me perdoe,

Você é o ser mais incrível que o mundo pôde provar.

Te ver triste me magoa

Mas hoje te deixo chorar.

Só não pense estar sozinho

Você nunca estará.

domingo, 3 de junho de 2018

Tão distante quanto meu sorriso

Febre que aduz o caos

Os casos secretos que nunca se consumaram

Me consumiram

E se foram sem despedidas.

Eu, que as odeio, senti falta de dizer adeus

Para encerrar as pontas sem nós

Sem laços

Mas não seria eu não fizesse tudo errado.